Os princípios e fundamentos que norteiam as atividades da Commander® estão formalmente declarados em sua Política da Qualidade e no Código de Ética, o qual tem por objetivo definir os critérios de conduta pessoal, profissional e comercial a serem observados pela equipe de colaboradores da COMMANDER.

Código de Ética
Declaração de Aliança

Os diretores e colaboradores da Commander comprometem-se em seguir os princípios éticos no cumprimento de suas atribuições, prestando serviços de elevado padrão profissional baseados na honestidade, dignidade, veracidade, exatidão, imparcialidade e responsabilidade perante a sociedade, bem como empenhando-se ao aperfeiçoamento de suas competências, no intuito de aumentar o prestígio e a credibilidade da empresa.

Regras de Conduta Pessoal

Na sede da Commander, a apresentação pessoal deve ser adequada aos compromissos diários, primando-se pela boa aparência como fator motivador do trabalho.

Na sede dos clientes, a apresentação pessoal será norteada pela cultura organizacional das empresas.

Todos devem ter em mente que a Commander trabalha com e através das pessoas e, portanto, é essencial o respeito pelo ser humano.

É inaceitável qualquer tipo de discriminação quanto à religião, raça, sexo, orientação sexual, estado civil, opção política ou quaisquer questões de ordem pessoal.

Buscar parcimônia e discrição. É desejável que não haja excessos no tratamento de assuntos pessoais.

Basear os relacionamentos em fatos e dados, no respeito e na solidariedade.

Evitar o uso de termos negativos ou pejorativos na presença de colegas e clientes. Usar sempre termos positivos, primando pela boa educação. Desse modo, qualquer comentário, crítica ou sugestão ao trabalho de colegas ou clientes devem ser apresentados de forma positiva e reservada.

É proibido fumar nas dependências da Commander ou na presença de clientes.

Regras de Conduta Profissional

Seguir a verdade em qualquer ocasião.

Todos são responsáveis pelo próprio desenvolvimento profissional, devendo buscá-lo permanentemente, através de iniciativas pessoais, leituras, estudos, cursos, etc.

Toda a prestação de serviços deve ser planejada e validada previamente à sua realização.

Toda a pendência gerada durante a prestação de serviços deve ser imediatamente associada a uma prioridade, com prazos e responsáveis determinados à sua solução.

É resguardado o caráter confidencial de informações dos clientes obtidas durante a prestação dos serviços. Somente será permitido aos diretores e colaboradores da Commander revelar informações confidenciais às autoridades competentes, no estrito cumprimento da lei.

Todos os colaboradores devem comprometer-se com a aplicação da Filosofia Empresarial e Política da Qualidade da Commander durante a execução dos serviços.

Regras de Conduta Comercial

Mediante apresentação e aceitação tácita ou expressa, a proposta comercial se tornará compromisso formal entre a Commander e o cliente, em todos os seus termos e condições.

Preferencialmente, os contatos que resultem compromissos recíprocos devem ser documentados, observando-se a máxima especificidade e confidencialidade.

É obrigatória a denúncia de possíveis conflitos de interesse entre colaboradores da Commander e clientes.

É inadmissível a comercialização de serviços que não sejam compatíveis à efetiva competência da Commander.

É facultada a divulgação da relação de clientes da Commander, a título de referência, em propostas comerciais e campanhas publicitárias.

Aos fornecedores da Commander é facultado o uso de sua marca e referência aos seus prêmios e certificações.

Regras de Integridade

Observar os princípios éticos, morais e legais na prestação dos serviços, particularmente, os consoantes nas Leis Anticorrupção.

Cumprir e fiscalizar o cumprimento das Leis Anticorrupção nacionais e internacionais, incluindo a Lei nº 12.846/13 (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/lei/l12846.htm) e o Decreto nº 8.420/15 (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Decreto/D8420.htm) que a regulamenta, além da Lei sobre Práticas de Corrupção no Exterior (Foreign Corrupt Practices Act – FCPA dos EUA (http://www.justice.gov/criminal-fraud/foreign-corrupt-practices-act)) e quaisquer outras leis e normas aplicáveis contra a corrupção, suborno, lavagem de dinheiro, contribuições políticas, comissões, gratificações, presentes, hospitalidades ou reembolsos de despesas a entes públicos ou privados.

Dentre as regras e requisitos das normas em referência, é proibido pagar, prometer, oferecer-se a pagar ou autorizar o pagamento de qualquer quantia pecuniária, ou entregar, prometer, oferecer-se a entregar ou autorizar a entrega de qualquer objeto de valor, a qualquer agente, membro, empregado ou representante de qualquer governo ou entidade da administração pública direta ou indireta, candidato a cargo político, partido político ou membro de partido político, ou a qualquer pessoa física ou jurídica, a fim de encaminhar, obter ou manter negócios para ou com tais entes públicos ou privados, ou assegurar qualquer vantagem imprópria.

Notificar os responsáveis e as autoridades competentes na hipótese de tomar conhecimento de qualquer ato passado, atual ou futuro que resulte em violação ou conflito, efetivo ou potencial, de qualquer norma anticorrupção.